Corona diaries #6

Arte de Elena Garnu

Perdi as estribeiras. Há tempos não sentia tanto nervoso, tampouco a força e as proporções que o ódio podem tomar quando estamos à flor da pele. Como se já não fosse frustrante o suficiente acompanhar tudo relacionado ao Covid-19, caio em notícias sobre o dito presidente do meu país de origem e sou tomada por uma tristeza imensa. É impossível falar sobre pandemia sem falar sobre política. Se temos governadores é por um motivo: estando nós de acordo ou não (e no meu caso o santo não bate com o deste homem por motivos óbvios), eles são porta-vozes. São eles quem devem se posicionar para evitar uma piora no quadro atual. Nós, enquanto seres humanos, podemos tomar partido e fazer o que está ao nosso alcance. Pois penso muito no quanto minha bolha pode se colocar nesta posição privilegiada: além de sermos pessoas deveras questionadoras, temos acesso fácil à informação. E quem não tem TV nem internet em casa? Ou um acesso limitado a ambos? Parece surreal em pleno 2020, mas existe. Daí a importância da política para, na medida do possível, acalmar a população e discutir as decisões a serem tomadas em meio à crise.

Dói ver alguém tão despreparado e sem tato no poder. Ele termina por promover a desordem e disseminar ódio – como sempre fez, por sinal. Ele nunca mentiu e tampouco fingiu ser uma pessoa razoável. É triste ver quanta gente não enxerga tal fato e continua aplaudindo a loucura deste homem. Enfim. Não vou me prolongar porque este verme não merece protagonismo por aqui. Mergulhados no caos como estamos, é evidente que não precisamos nos afundar ainda mais na merda.

Sentir como meu psicológico reage ao confinamento me fez repensar muitas coisas, e uma delas foi o diário. Ele surgiu como forma de fazer passar o tempo. Embora o conteúdo não acrescente em nada, ele me faz pensar que estou produzindo algo embora passe o dia parada. Mas tenho medo de virar obrigação. Espaçar a atividade me parece uma boa opção, sobretudo quando vejo uma nova notícia e tenho mais certeza que os dias de confinamento devem se prolongar.

Inclusive parei. Escrevi o parágrafo anterior e fui fazer minha bateria de exercícios do dia no fim da tarde de ontem. Voltei agora, neste resto de quarta-fera. Continuo sendo zoada pela Holanda, com este tempo ridículo, ensolarado e de céu azul. Comecei um texto inspirado pelo novo curta de meu amigo, Caio Naressi, e acabei largando mão porque minha concentração foi embora. Pode ser que retome em algum momento. Minha participação no podcast Conversa de Adulto foi ao ar. Laurinha Lero liberou enfim um novo episódio de Respondendo em Voz Alta [onde ela define o presidente com esta bela frase: “A estupidez do cara é um recurso inesgotável, ele é o pré-sal da estupidez. Muito preciso, tá de parabéns]. Minha amiga falou muito sobre seus 8 kg perdidos em decorrência do término do namoro (sim, a mesma citada em outro diário). O “presidente” do Brasil conseguiu falar mais bosta que de costume (!). Fiz exercícios de holandês. Fiz comida para nós (!!), Nicolas também. Ligamos pra um amigo dele e dividimos um apéro digital. Desejei dar continuidade à minha ilusão de produtividade, mas faltou força de vontade e sobretudo inspiração. No meio da paranoia, dessa agonia de tentar fazer pelo menos cinco coisas e não conseguir avançar em nenhuma, releio este parágrafo e constato que bem, os últimos dois dias (e meio) foram bem movimentados.

E nem precisei sair de casa para a vida acontecer.

Em tempos de ser considerado heroi pelo ato de confinamento, por que raios a gente ainda bate a cabeça contra a parede por não dar conta de seguir adiante e riscar os itens da lista de afazeres que elaboramos nas primeiras horas de quarentena?

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s